Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Evangelho de Lucas’ Category

“Até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, o varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo”  Efésios 4.13

O  Relacionamento com o próximo.

1.  Os misericordiosos  – A misericórdia é compaixão e socorro para uma pessoa que não tem a mínima possibilidade de ajudar a si mesmo.   Uma grande ilustração  dessa verdade se acha na Parábola do Bom Samaritano, que “usou de misericórdia” para com o viajante que foi assaltado no caminho de Jerusalém a Jericó é abandonado semi-morto (Lucas 10.25-37).    Há tantas pessoas abandonadas pela sociedade e muitas vezes, pela própria igreja que necessitam de um ato de misericórdia da nossa parte. Muitas pessoas preferem isolar-se da situação dolorosa da humanidade.   A versão,em linguagem atualizada do texto bíblico é muito apropriada:    “Felizes os que têm misericórdia dos outros  –  Deus terá misericórdia deles também” . Não se esqueçam que aqueles que demonstram misericórdia encontrarão misericórdia.

2.  Os limpos de coração  – Este foi o desejo de Davi: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro” (Salmos 51.10). O coração limpo é a coração sincero. Como há uma grande necessidade de  o crente ser sincero, livre de falsidade no seu relacionamento com outros! Como diz   Stott:  “Como são poucos os que, dentre nós, vivem uma vida aberta!  Somos tentados a usar uma máscara diferente, de acordo com a realidade, mas representação, que é a essência da hipocrisia”.  E são tais pessoas que verão a Deus, tanto como no futuro, quando chegarmos na presença do Senhor, face a face! Esta á a bem-aventurança do crente que “não entrega a sua alma à falsidade!”

3. Os pacificadores. Há uma grande necessidade hoje de pacificadores – na indústria entre empregador e empregado;  na  igreja,   entre  um membro e outro (Filipenses 4.2)! A coisa mais fácil é criar caso, incentivar atritos.  É preciso da nossa parte um grande esforço, como Paulo nos mandou:  “esforçando-nos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz”  (Efésios 4.3).    Cada cristão tem de ser um pacificador, mas isso só é possível quando gozamos paz com Deus, a fonte de toda paz.  Somos chamados a  “seguir a paz com todos” (Hebreus 12.14) e, se depender de nós,  “ter paz com todos os homens” (Romanos 12.18).

A grande bêncão de lutar pela reconciliação de duas pessoas ( ou dois grupos) que estão em divergência é ser  “chamados filhos de Deus”.

4. Os perseguidos por causa da justiça. O Senhor nunca disse que seria fácil ser crente.  O preço pode ser bem alto. A vida cristã é difícil quando vivemos de acordo com a Palavra de Deus. Pode haver perseguição física por causa da nossa fé, mas muitas vezes a perseguição é muito mais  sutil, sejam calúnias que temos de sofrer, ou a perda de amigos porque somos crentes.   Até hoje, em vários países, ser crente é sofrer expulsão de casa, ou mesmo morrer como mártir.   “A condição de ser desprezado ou rejeitado, injuriado e perseguido é sinal do discipulado cristão, da mesma forma que um coração  puro ou misericordioso”.  Não há dúvida que a perseguição é simplesmente o conflito entre dois sistemas de valores irreconciliáveis.

Todos os crentes devem demonstrar todas as características detalhadas aqui. Crentes não tem a liberdade de escolher alguma área especial e negligenciar outra, mas são chamadas a crescer em todos os aspectos ( Efésios 4.15). “Tal inversão dos valores humanos é básica na religião bíblica. Os métodos do Deus das Escrituras parecem uma confusão para os homens, pois exaltam o humilde e humilham o orgulhoso; chamam de primeiros os últimos, e de últimos, os primeiros…  Resumindo, Jesus parabeniza aqueles que o mundo mais despreza, e chama de  “bem-aventurados” aqueles que o mundo rejeita”

Não se iludam aqueles que pensam poder  fingir, Deus não se deixa  enganar. E Ele requer a nossa sinceridade.

Senhor, grande é o desafio de vencer o nosso eu, egoísta, pecaminoso e nos tornarmos altruístas, santos,  por isso, precisamos manter os olhos postos no nosso modelo, Teu Filho, nosso Salvador, Jesus Cristo, em nome de quem oramos. Amém.

Anúncios

Read Full Post »

“Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, o’  Deus, suspira a minha alma.  A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo”  (Salmo 42.1-2)

Gerações de expositores bíblicos tem aclamado as Bem-aventuranças como revolucionárias. As afirmações de Jesus são opostas à maneira que o mundo pensa. O mundo acha que a verdadeira felicidade vem de popularidade, riqueza,  sucesso, beleza física, mas Jesus vira tudo de cabeça para baixo.   Ele declara que a verdadeira alegria (que vem do conhecimento do valor divino) pertence não àqueles que parecem estar no topo do mundo, mas aos pobres de espírito, àqueles que choram, que têm fome e sede de justiça.

As primeiras bem-aventuranças tratam do relacionamento com Deus e as últimas do relacionamento com o próximo.

Os humildes de espírito. A  palavra pobre ou humilde descreve o homem que não tem absolutamente nada – o homem que, pelo fato de não ter nada neste mundo,  põe toda a confiança em Deus.  Esta era a maneira como Davi escreveu no Salmo 14.6:  “Clamou este pobre e o Senhor o  ouviu, e o salvou de todas as suas angústias” . Gradualmente, a palavra passou a ter o sentido de uma humilde dependência de Deus.  Esta bem-aventurança ensina duas verdades:

a. Reconhecer a nossa pobreza espiritual – Não temos nada para oferecer a Deus. O homem, humilde de espírito é aquele que reconhece a sua pobreza espiritual.    À  igreja de   Laodicéia, Jesus falou: “Pois dizes :  Estou rico e abastado, e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego, nu”  (Apocalipse 3.17) . Era um igreja autosatisfeita e bastante superficial.  Quantas pessoas há, satisfeitas com o seu estado espiritual que são como  o fariseu:  “Ó Deus, graças te dou porque  não sou como os demais homens…jejuo…dou dízimo de tudo quanto ganho” – não há muita pobreza ou humildade de espírito aqui!      Ou será que somos como o publicano que clamava –  “Ó Deus, sê propício a mim, pecador!” (Lucas 18:11-13)? O publicano estava totalmente dominado pela percepção de sua falência moral e destituição espíritual – isto é ser humilde de espírito. Ver em Isaías 57.15 e 66.2.

b. Receber o reino dos céus –  O reconhecimento de nossa pobreza espiritual é a condição indispensável para receber o reino de Deus.   O que Jesus enfatiza é  que o reino dos céus é oferecido somente àqueles que são humildes de espírito. Feliz é aqueles que reconhece a sua fraqueza espiritual!

Os que choram. Esta é uma bem-aventurança estranha – “Felizes e infelizes.” A palavra chorar é uma palavra  muito forte, lamento pelos mortos queridos, grande dor moral ( Genesis 37: 34). Este choro não é de luto, mas o choro do arrependimento. Quando Jesus se aproximou da cidade de Jerusalém, chorou pelo pacado do povo impenitente  (Lucas 19.41) Deve haver da parte do crente essa tristeza pelos pecados dos outros – lágrimas quando vemos um irmão cair no pecado, em vez de fofoca sobre o seu pecado.   Mas o que deve nos levar às lágrimas é a tristeza de nossos próprios pecados, aquilo que Paulo descreve:  “Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação que a ninguém traz pesar;  mas a tristeza do mundo produz morte (2 Coríntios  7.10). Há uma ligação entre as primeiras duas bem-aventuranças.  Ser humilde de espírito é sentir convicção pelo pecado;  chorar é demonstrar contrição.

Os mansos . Alguém manso é uma pessoa que demonstra auto-controle.    Moisés foi considerado um varão mui manso (Números  12.3). Bem-aventurada é a pessoa  que tem todo o impulso e toda paixão matural sob contrôle e sabe quando deve e quando não deve irar-se.  Aprendei  de mim”, disse Jesus, “porque sou manso e humilde de coração  (Mateus  11.29).

São essas pessoas  “mansas” que “herdarão a terra” . “A condição pela qual tomamos posse de nossa herança espiritual em Cristo, não é a força, mas a mansidão,  pois tudo é nosso se somos de Cristo” .

–  Os que têm fome  e sede de justiça. A fome aqui não é fome que a gente tem antes do almoço – “Estou com fome!”.   É a fome de uma pessoa que não tem absolutamente nada para comer.   É a sede de um moribundo  desesperado para beber água. Quanto desejamos justiça ? É quando um homem morrendo no deserto deseja comer e beber. Qual é a natureza dessa justiça.

Justiça  moral – é o caráter e a conduta que deve agradar a Deus.   Devemos desejar ardentemente um coração  que agrada a Deus.  Sede é um sinal de saúde.  Quando não temos apetite, isso é motivo de preocupação.  Como é triste ver as pessoas sem a fome e sede de Deus!  Apenas em Deus podemos saciar a nossa sede e matar a nossa fome.

Justiça social – uma grande peocupação dos profetas menores foi com as injustiças que prevalecem na sociedade: “visto que pisais o pobre, e dele exigis tributo de trigo (Amós 5. 11) ,  procedendo dolosamente com  balanças enganadoras, para comprarmos os pobres por dinheiro, e os necessitados por um par de sandálias”  (Amós 8.5,6).

Esta é a bem-aventurança do espírito faminto, porque será farto com a plenitude da vida de Cristo!

Senhor, a maior aspiração que anela o meu coração é alcançar o caráter que nos mostras ser de acordo como teu coração. Peço que o Teu Santo Espírito burile o meu temperamento e que eu possa ser conforme o Teu modelo. Em nome de Jesus. Amém

Read Full Post »

“O que amar o dinheiro nunca se fartará de dinheiro; e quem amar a abundância nunca se fartará de renda;   também isso é vaidade” Eclesiastes.   5.10

“Guarda  o teu pé, quando entrares na casa de Deus; e inclina-te , mais a ouvir do que a oferecer sacrifícios de tolos, pois não te fazem mal.    Não te precipites com a tua boca, nem o teu  coração se apresse  a pronunciar palavra alguma diante de Deus: porque Deusam está nos céus, e tu estás sobre a terra; pelo que sejam poucas as tuas palavras.    Porque da muita ocupação vêm os sonhos, e a voz do tolo,  da multidão das palavras.    Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes  em cumprí-lo, porque  não se agrada de tolo, o que votares paga-o.  Melhor é que não votes do que votes e não pagues.    Não consintas que a tua  boca faça pecar a carne, nem digas diante do do anjo que foi erro;  por que razão se iraria  Deus contra a tua voz, de sorte que destruísse a obra das tuas mãos? Porque, como na multidão dos sonhos há vaidades, assim também nas muitas palavras;  mas tu, teme a Deus.  Se vires em alguma província  opressão de pobres e violência  em lugar de juízo e justiça, não te maravilhes de semelhante caso; porque  o que mais alto é do que os altos para isso atenta; e há mais altos do que eles.  O proveito da terra é para todos; até o rei se serve do campo.  O que amar o dinheiro, nunca se farta de dinheiro; e quem amar a abundância nunca se fartará de renda.  Onde a fazenda se multiplica, aí se multiplicam também  os que a comem;   que mais proveito, pois têm os seus donos do que a verem com os seus olhos?    Doce é o sono do trabalhador,  quer coma pouco quer muito;  mas a fartura do rico não o deixa dormir.   Há  mal que vi  debaixo do sol  e atrai   enfermidades  que os seus donos guardam para o próprio dano.   Porque as mesmas riquezas se perdem  por qualquer má aventura; e, havendo  algum filho, nada fica na sua mão.    Como saiu do ventre de sua mãe, assim nu voltará, indo-se como veio;   e  nada tomará do seu trabalho, que possa  levar na sua mão.    Também isto é um mal que causa enfermidades: que, infalivelmente, como veio, assim ele vai;  e que proveito lhe vem de trabalhar para o vento, e de haver comido todos os seus dias nas trevas, e de haver padecido muito enfado enfermidades, e cruel furor?   Eis aqui o que eu vi, uma boa e bela coisa: comer e beber, e gozar cada um do bem de todo o seu trabalho, em que trabalhou debaixo do sol, todos os dias que Deus lhe deu;  porque esta é a sua porção.  E quanto ao homem, a quem Deus deu riquezas e fazenda e lhe deu o poder para delas comer, e tomar a sua porção  e gozar do seu trabalho, isso é dom de Deus.   Porque não se lembrará muito dos dias de sua vida;  porquanto Deus lhe responde  na alegria do seu coração.”    Eclesiastes 5.  1-20

Quando entramos na casa de Deus, devemos estar abertos e prontos para ouvir a Deus, não para impor-lhe aquilo que pensamos que Ele  de veria  fazer.

Salomão advertiu seus leitores a respeito  de fazer promessas tolas a Deus.   Na cultura israelita, votar era muito sério.
O voto era voluntário, mas uma vez feito, era irrevogável  (Deuteronomio 23. 21-23).  É tolice prometer algo que não pode ser  cumprido   ou brincar com Deus  cumprindo somente parte do voto (Provérbios 20.25).  É melhor não votar, do que fazê-lo e não ser capaz de cumprir. Se você fizer uma promessa, mantenha-a.

Sempre queremos mais do que temos. Salomão  observou que aqueles que gastam sua vida procurando obsessivamente ganhar dinheiro,  nunca encontram a felicidade que vislumbram nele.   As riquezas atraem int; eresseiros  e ladrões, causam  insônia e medo e acabam em perda, porque tudo que juntamos   aqui deve ser deixado quando morremos   (Marcos 10. 23-25;  Lucas 12. 16-21).  Não importa o quanto você ganha, se tentar alcançar a felicidade acumulando riquezas, nunca terá o suficiente.  O dinheiro em si não é bom nem ruim, mas amar odinheiro leva uma pessoa a toda sorte de pecado. Qualquer que seja sua situação financeira, não  dependa do dinheiro para ser  feliz.   Use o que você tem  para a glória do Senhor!

Senhor, eu te sou grata pela bênção do sustento financeiro que me tens concedido, por cuidares de mim e atenderes a todas as minhas  necessidades.  Sei bem Senhor que para a minha vida, a tua Graça me basta. Dela não posso prescindir .   Rogo-te que isso não me falte, em nome de Jesus.  Amém

Read Full Post »

“O vento norte afugenta a chuva, e a língua fingida, a face irada” Provérbios 25.23

“Também estes são provérbios de Salomão, os quais transcreveram os homens de Ezequias, rei de Judá.    A glória de Deus é encobrir o negócio, mas a glória dos reis é tudo investigar.  Para a altura dos céus, e para a profundeza da terra, e para o coraçào dos reis, não há investigação alguma.   Tira da prata as escórias, e sairá vaso para o fundidor.   Tira o ímpio da presença do rei, e o seu trono se firmará na justiça.    Não te glories na presença do rei, nem te ponhas no lugar dos grandes;  porque melhor é o que te digam:  Sobe para aqui, do que seres humilhado diante do príncipe a quem já os teus olhos viram.    Não te apresses a litigar, para depois, ao fim, não saberes o que hás de fazer, podendo-te confundir o teu próximo.   Pleiteia a tua causa com o teu próximo mesmo e não descubras o segredo do outro;   Para que não te desonre o que o ouvir, não se apartando de ti a infâmia.    Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim  é a palavra dita a seu tempo.    Como pendentes de ouro e gargantilhas de ouro fino, assim é o sábio repreensor para o ouvido ouvinte.    Como frieza de neve no tempo da sega, assim é o mensageiro fiel para com os que o enviamm;  porque alegra a alma dos seus senhores.      Como nuvens e ventos que não trazem chuva, assim é o homem que se gaba falsamente de dádivas.   Pela longanimidade se persuade o príncipe, e a língua branda quebranta os ossos.    Achaste mel?   Come o que te basta:  para que, porventura, não te fartes dele e o venhas a vomitar. Retira o pé da casa do teu próximo, para que se não enfade de ti e te aborreça.    Martelo, e espada, e flecha aguda é o homem que levanta falso testemunho contra o seu próximo.     Como dente quebrado e pé deslocado, assim é a confiança no desleal, no tempo da angústia.     O que entoa canções junto ao coração aflito é como aquele que se despe num dia de frio e como vinagre sobre salitre.     Se o que te aborrece tiver fome, dá-lhe pão para comer;   e, se tiver sede, dá-lhe água para beber,  porque assim, brasas lhe amontoarás sobre a cabeça; e o SENHOR to pagará.       O vento norte afugenta a chuva, e a língua fingida, a face irada.    Melhor é morarnum canto de umas águas furtadas do que com a mulher rixosa numa casa ampla.     Como água fria para uma alma cansada, assim são as boas novas de terra remota. Como fonte turva e manancial corrupto, assim são as boas-novas de terra remota.   Comer muito mel não é bom;  assim, a investigação da própria glória não é glória.    Como a cidade derribada, que não tem muros, assim é o homem que não pode conter o seu espírito.

Os provérbios do livro da Sabedoria, nos capítulos 25 a 31,  foram compilados pelos ajudantes de Ezequias.  Embora todos nós possamos aprender com esses provérbios, muitos foram originalmente dirigidos ao rei ou àqueles que lidavam com ele. São particularmente úteis para aqueles que são líderes ou que aspiram à liderança.   O livro termina com a descrição de uma esposa verdadeiramente virtuosa, que te, e põe em prática a sabedoria divina.

A história de Ezequias é contada em 2 Reis 18-20;  2 Crônicas 29-32 e Isaias 36-39. ele foi um dos poucos reis de Judá que honrou o Senhor.   Em contraste, seu pai Acaz,  fechou as  portas do templo. Ezequias restabeleceu o culto no templo, destruiu os locais de adoração dos ídolos e conquistou o respeito das nações vizinhas.   Não é surpreendente que Ezequias tenha providenciado a tanscrição dos provérbios de Salomão, que foram lidos para todos. “em toda a obra que começou no serviço da casa de Deus, na lei e nos mandamentos, para buscar a seu Deus. Ezequias com todo o coração o fez e prosperou. ( 2 Crônicas 31.21)

Jesus citou o provérbio inserto nos versos 6/7, (ver Lucas 14.7-11).   Não devemos buscar a honra para nós mesmos. É melhor fazermos a tarefa que Deus nos designou de modo discreto e fiel!    À medida que outras pessoas perceberem a qualidade de nosso serviço, prestarão atenção em nós.

É difícil encontrar pessoas em quem realmente possamos confiar.   Um empregado fiel é pontual, responsável, honesto; trabalha com afinco. Uma pessoa como esta tem valor, inestimável, porque ajuda realmente seu patrão. Identifique o que seu chefe precisa que você faça para facilitar o trabalho dele, e dedique-se.

A maioria das igrejas, organizações missionárias e grupos cristãos depende de ofertas voluntárias para manter seu ministério. Porém muitos que prometem contribuir não o fazem. A palavra de Deus é muito clara sobre o efeito desta atitude.  Se você fizer um voto, mantenha  e cumpra aquilo  que prometeu.

Mentir a respeito de alguém é uma atitude cruel. Isso pode causar  um eleito tão doloroso quanto o de uma ferida não cicatrizada. Da próxima vez que se sentir tentado a espalhar uma fofoca, imagine que está ferindo a  vítima de seus comentários com uma espada. Esta imagem pode chocá-lo e levá-lo a silenciar.

A forma de retaliação que Deus exige que pratiquemos em relação aos nossos inimigos é mais efetiva, porém difícil de ser desempenhada. Ela foi confirmada por  Jesus quando Ele nos exortou a orar por aqueles que nos magoassem (Mateus 5.44). Paulo reforçou este ensinamento quando citou este provérbio (v. 21,22), em Romanos 12. 19-21.  ao retribuir o mal com o bem, reconhecemos Deus como o justo Juiz que julgará todaas as causas.

Assumir compromissos com os ímpios significa colocar do lado certo nossos padrões em relação ao que é certo e errado. Ninguém pode ser ajudado por alguém que se mostra intransigente com  a impiedade. (v. 26)

Buscar honras é prejudicial.  Esta atitude pode tornar a pessoa amaargurada, desencorajada ou irada, caso não receba as recompensas que imagina merecedora. Prender-se ao que deveria ter recebido, pode fazer com que ela perca a satisfação de saber que fez o melhor possível.

Embora os muros  da cidade restringissem a entrada e a saída dos habitantes, estes se sentiam seguros por tê-los.   Sem os muros , estariam vulneráveis a ataques de grupos de saqueadores que passassem pela cidade. Certamente o autocontrôle  nos limita, porém é necessário.  Uma pessoa fora de controle está aberta a todos os tipos de ataques do inimigo. Pense a respeito do domínio próprio com um muro que serve para sua proteção.

O que dizemos provavelmente  afeta mais pessoas do que qualquer outra ação. Não é surpresa, então, perceber que o livro de Provérbios dá especial  atenção às palavras e ao modo como são usadas.  Os quatro padrões de fala mais comuns são descritos. Os dois primeiros devem ser copiados, enquanto os dois últimos devem ser evitados.

A língua Controlada – Aqueles que têm este padrão de fala, pensam antes de falar, sabem quando o sil6encio é melhor e dão conselhos sábios.;     A língua Cuidadosa – Aqueles que têm este padrão de fala dizem a verdade, enquanto procuram encorajar:        A língua Enganadora – Aqueles que tem este padrão de fala são cheios de motivações erradas, visam à fofoca, à calúnia e têm um desejo de distorcer a verdade;     A língua Descuidada –  Aqueles que têm este padrão de fala proferem mentiras, maldições, palavras irascíveis, que podem levar a rebelião e à destruição.

Senhor, que as minhas palavras sejam de uma língua controlada e cuidadosa, que sempre haja bênçãos sendo proferidas da minha boca. Peço a tua graça. Em nome de Jesus. Amém.

Read Full Post »

” Compra a verdade e não a vendas;  sim a sabedoria, e a disciplina, e a prudência.” Provérbios 23. 23

“Quando te assentares a comer com um governador; atenta bem para o que se te pôs diante;    e põe uma faca à tua garganta, se és homem glutão.    Não cobices os seus manjares gostosos, porque são pão de mentiras.   Não te canses para enriqueceres;  dá de mão à tua própria sabedoria.   Porventura, fitarás os olhos naquilo que não é nada?   Porque, certamente isso se fará asas e voará ao céu como a águia.   Não comas o pão daquele que tem os olhos malignos, nem cobices seus manjares gostosos.   Porque, como imaginou na sua alma, assim é; ele te dirá: come e bebe: mas o seu coração não estará contigo.   Vomitarias o bocado que comeste e perderias as tuas suaves palavras.   Não fales aos ouvidos do tolo, porque desprezará  a sabedoria das tuas palavras.   Não fales aos ouvidos do tolo, porque desprezará a sabedoria das tuas palavras. Não removas os limites antigos, nem entre as herdades dos orfãos, porque o seu Redentor é forte; ele pleiteará a sua causa contra ti.   Aplica à disciplina o teu coração e os teus ouvidos, às palavras do conhecimento.   Não retires a disciplina da criança, porque, fustigando-a com a vara, nem por isso morrerá.   Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno.  Filho meu,se o teu coração for sábio, alegrar-se-á o meu coração, sim, o meu próprio. E exultará o meu íntimo, quando os teus lábios falarem  coisas  retas.   Não tenha teu coração inveja dos pecadores ;  antes, sê no temor  do SENHOR todo o dia.   Porque deveras há um fim bom; não será malograda a tua esperança.   Ouve tu, filho meu, e sê sábio e dirige no caminho o teu coração.     Não estejas entre os beberrões de vinho, nem entre os comilões de carne.  Porque o beberrão e o comilão cairão em pobreza; e a sonolência  faz trazer as vestes rotas.   Ouve a teu pai, que te gerou, e não desprezes a tua mãe, quando vier a envelhecer.   Compra a verdade e não a vendas;   sim, a sabedorisa, e a discipllina, e a prudência.    Grandemente  se regozijará o pai do justo, e o que gerar a um sábio se alegrará nele.   Alebrem-se teu pai e tua mãe, e regozije-se a que te gerou.    Dá-me, filho meu, o teu coração, e os teus olhos observem os meus caminhos.     Porque cova profunda é a prostituta, e poço estreito, a estranha.   Também ela, como um salteador, se põe a espreitar e multiplica entre os homens os iníquos.      Para quem são os ais? Para quem os pesares? Para quem as pelejas?    Para quem, as queixas?  Para quem, as feridas sem causa?  E para quem, os olhos vermelhos?   Para os que demoram perto do vinho, para os que andam buscando bebida misturado. Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escvoa suavemente.    No fim, morderá como a cobra e, como o basilisco, picará.    Os teus olhos olharão para as mulheres estranhas, e o teu coração falará perversidades.   E serás como oque dorme no meio do mar e como o que dorme no topo do mastro e dirás: Espancaram-me, e não me doeu;  bateram-me, e não o senti; quando virei a despertar?  ainda tornarei a buscá-la outra vez.

A Prudência é essencial para uma vida sem problemas.

O provérbio 1-3, mostra que devemos ser cuidadosos quando participamos de uma refeição com uma pessoa importante ou influente. Provavelmente, a finalidade deste conselho é evitar que caiamos em alguma tentação, que transmitamos uma má impressão ou ainda assegurar que tal ocasião tenha resultados positivos.

Todos nós já ouvimos falar de pessoas que ganharam milhões, mas perderam tudo. Qualquer um poderia gastar sua herança ou seu salário com a velocidade de um raio ou perdê-los por um incidente. Não esperdice seu tempo, perseguindo tesouros terrestres passageiros. Acumule tesouros no céu, porque estes nunca serão perdidos (ver ensinamento de Jesus em Lucas 12.33-34).

Em uma linguagem figurada, o escritor nos advertiu a não invejarmos o estilo de vida daqueles que adquirem riquezas pela avareza  nem recebermos seus favores seus favores por meio por meio da bajulação. A amizade deles é falsa;  só a usarão em benefício próprio.

O termo redentor era usado para designar a pessoa que comprava de volta um membro da família, vítima de escravidão,  que aceitava a obrigação de casar com a viúva de um parente próximo  ( Rute 4.3-10). Deus também é chamado de Redentor (Êxodo 6.6; Jó 19.25)

As pessoas que têm mais  probabilidade de adquirir conhecimento são aquelas dispostas a ouvir. Prestar atenção ao que os outros têm a dizer é um sinal de força, não de debilidade. Quem gosta de ouvir continua a crescer ao longo de sua vida. Se nos recusamos a ficar estagnados no crescimento, poderemos sempre expandir os limites do nosso conhecimento.

O tom severo da disciplina aqui é compensado pelo afeto expresso  no provérbio 15. Porém,  muitos pais relutam em corrigir seus filhos.   Alguns temem que seu relacionamento seja prejudicado, que seus filhos se ressintam ou venham a sufocar o desenvolvimento de seus filhos. Mas a correção não matará as crianças; evitará que façam tolices.

Sobre a inveja dos pecadores. É facil invejar aqueles que prosperam sem assumir qualquer responabilidade com as leis de Deus.  Por algum tempo parecem ter sucesso, porém não têm  futuro algum.  Deus promete esperança e um futuro maravilhoso para aqueles que o seguem, ainda que não o percebem nesta vida.

O efeito confortante e calmante do álcool é apenas temporário. O verdadeiro alívio vem de lidar com a causa da angustia e da tristeza, voltando-se a Deus para receber a paz. Não se perca no vício do álcool; encontre-se em Deus.

Os últimos provérbios deste capítulo , 29-35, falam de Israel, que era um país produtor de vinho. Na antiguidade esse produto era considerado sinal de benção (Provérbios 3.10).    Foi dito que o vinho estava presente até na mesa da sabedoria (Provérbios 9.2-5). Mas os escritores do Antigo Testamento estavem alerta aos perigos dessa bebida, que entorpece os sentidos; limita a pessoa a fazer um julgamento claro (Provérbios 32. 1-9); diminui sua capacidade de autocontrole (Provérbios 4.17). Normalmente aqueles que bebem vinho desmedidamente sentem uma  autopiedade  exacerbada ou querem fugir de sua realidade, e acabam sofrendo ainda mais por causa das consequências da embriaguez.  Mantenha-se longe das bebidas alcoólicas, para não sofrer esses danos, não dar maus exemplos e não causar escândalos.

Senhor, graças te dou, pela tua grande misericórdia, pois por elas não somos consumidos. E se renovam todos os dias.  Orienta-nos e guia-nos pelas tuas veredas de justiça. Mantêmnos vigilantes para não cairmos. Guarda-nos no teu esconderijo. Pedimos-te por Jesus, teu Filho. Amém.

Read Full Post »

“Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos; escudo é para os que caminham com sinceridade” Provérbios 2.7

Diz o rei: “Filho meu, se aceitares as minhas palavras e esconderes contigo os meus mandamentos, para fazeres atento à sabedoria o teu ouvido, e para inclinares o teu coração ao entendimento, e, se clamares por entendimento, e por inteligência alçares a tua voz, se como a prata a buscares e como a tesouros escondidos a procurares, então entenderás o temor do Senhor e acharás o conhecimento de Deus. Porque o Senhor dá a sabedoria, e da sua boca vem o conhecimento e o entendimento.

O rei revela o que representa o temor do Senhor:  Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos; escudo é para os que caminham na sinceridade,  para que guarde  as veredas do juízo o caminho dos seus santos. Então entenderás justiça, e juízo, e equidade, e todas as boas veredas.

Lembra que : o bom siso te guardará, e a inteligência te conservará; para te livrar do mau caminho  e do homem que diz coisas perversas; dos que deixam as veredas da retidão para andarem pelos caminhos das trevas; que se alegram de mal fazer e folgam com as perversidades dos maus, cujas veredas são tortuosas e desviadas nas suas carreiras; para te livrar da mulher estranha e da estrangeira, que lisonjeia com suas palavras, a  qual deixa o guia da sua mocidade e se esquece do concerto do seu Deus; porque a sua casa se inclina para a morte, e as suas veredas, para os mortos; todos os que se dirigem a elas não voltarão e não atinarão com as veredas da vida. Para que andes pelo caminho dos bons e guardes as veredas dos justos.  Porque os retos habitarão a terra, e os sinceros permanecerão nela. Mas os ímpios serão arrancados da terra, e os aleivosos serão dela exterminados”. (Proverbios 2. 6-22)

O desvio da rota, o afastar-se do caminho, vai transformando o panorama e a paisagem plácida do caminho seguro que deveríamos seguir vai se tornando diversa, com novos tons, intensos, vivos, atraentes, porém pouco além do leito da estrada, existem ocultos espinheiros e abrolhos, que não se pode distinguir porque os olhos estão fitos no brilho das cores fortes que margeiam a via convidando a prosseguir por ela. Muitos são os que transitam por este caminho e este movimento dá a sensação de que o destino é alvissareiro, todavia não é assim. Porém quando se dá conta o caminheiro de que não deveria estar trilhando aquela senda, muito longe já caminhou e sente-se inseguro de fazer o retorno. No entanto o retorno é essencial, para encontrar o caminho certo, por isso é importante lembrar que “se clamares por entendimento e por inteligência alçares a tua voz…. o Senhor dá a sabedoria e da Sua boca vem o conhecimento e o entendimento.”

Em Lucas 15, 11-32, Jesus relata a parábola do filho pródigo e com este ensinamento retrata o sentimento do Pai, quanto aos seus filhos que fazem o retorno, voltam para casa, para os braços amorosos do seu Pai.

Assim é Deus para conosco, ensina, orienta, adverte, admoesta, porém concede a liberdade da escolha, e ainda assim, dispõe-se a receber de volta aquele que se havia perdido.

Papai querido, eu te louvo e te sou imensamente grata pelo teu amor incondicional e anseio por não me desviar, nem para a esquerda, nem para a direita do caminho que nos deste para chegar a ti,  teu Filho, Jesus. Amém.


Read Full Post »

“E, achando-a,convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida. Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.”

Lucas 15, 9-10

A Bíblia relata que os anjos terão uma participação importante em executar o julgamento de Deus sobre os que recusam Jesus Cristo como Salvador e Senhor, contudo ao mesmo tempo, eles também se regozijam na salvação dos pecadores. Jesus contou histórias surpreendentes em Lucas 15.  Na primeira, um homem tinha cem ovelhas. Quando uma  se perdeu, deixou as noventa e nove e foi em busca da que se perdeu. Quando ele encontrou a ovelha, ele a colocou sobre os seus ombros e trouxe de volta ao redil. Em casa, ele chamou todos os seus amigos, dizendo: “Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida”(v.6). Jesus disse: “Digo-vos que assim averá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento” (v.7)

Sua segunda história é sobre uma mulher que perdeu uma valiosa moeda de prata. Tratava-se de uma moeda que  fazia parte de um adorno que deveria compor seu traje matrimonial e portanto não poderia ser substituída. Ela procurou por todos os lados. Ela varreu a casa minuciosamente . Por  fim, quando conseguiu recuperar a moeda, ela chamou todas suas amigas e vizinhas, dizendo:  “Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida” (v9) Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus, por um pecador que se arrepende” v 10.

Nestas duas parábolas,  Jesus não está nos dizendo que os anjos do céu têm seus olhos sobre cada pessoa?  Eles conhecem a condição espiritual de todo mundo na face da terra. Não apenas Deus o ama, mas os anjos o amam também. Eles estão ansiosos para que você se arrependa e se volte para Cristo para salvação, antes que seja tarde. Eles sabem dos terríveis perigos do inferno que estão adiante. Eles querem que você se volte para o céu, mas eles sabem que esta é uma decisão que você, apenas você, terá de tomar. Qual é a sua relação com o Senhor?

Não é confortador saber que, não importa quão sozinhos possamos nos sentir, os anjos de Deus estão tomando conta de nós?

Nosso Deus e Pai, tuas misericórdias, bondade e cuidado me envolvem. Fico muito humilhado por tua constante atenção e paciência para lidar comigo. Minha vida é tua para dirigir, Senhor. Mantém-me em segurança e perto de ti. Não conseguirei ter sucesso sem o Senhor. Ajuda-me a caminhar no mesmo coração de Jesus. No nome dEle eu oro. Amém

Read Full Post »

Older Posts »