Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Atos dos Apóstolos’ Category

“E, não aparecendo, havia já muitos dias, nem sol nem estrelas, e caindo sobre nós uma não pequena tempestade, fugiu-nos toda a esperança de nos salvarmos.  Havendo já muito que se comia, então, Paulo, pondo-se em pé no meio deles, disse: Fora, na verdade, razoável, ó varões, ter-me ouvido a mim e não partir de Creta, e assim evitariam este incômodo e esta perdição.  Mas, agora, vos admoesto a que tenhais bom ânimo, porque não se perderá a vida de nenhum de vós, mas somente o navio.   Porque esta mesma noite, o anjo de Deus, de quem eu sou e a quem sirvo, esteve comigo, dizendo:   Paulo, não temas!  Importa que sejas apresentado a César, e eis que Deus te deu todos quantos navegam contigo.     Portanto, ó varões, tende ânimo!   Porque creio em Deus que há de acontecer assim como a mim me foi   dito. É, contudo necessário irmos dar numa ilha.”       Atos 27. 20-26

Estive ausente por vaaáarios dias, exatamente desde o dia  18.12, não por falta de inspiração, ou de vontade, porém creio que passei por um momento de, digamos, conflito,  com o mundo que me cerca e a minha inserção nele, necessária, porém complicada,  diante dos meus valores, das minhas crenças, do que realmente importa.

Assisti , há poucos dias  “2010”  e no meio de toda a água e destruição, inevitável  é refletir sobre a fragilidade da humanidade diante do poder da natureza em fúria e parece-me que enquanto estamos falando sobre os tempos que vivemos, de perigos,  de grave e iminente ameaça  de catástrofes de dimensões inimagináveis, de que precisamos como homens,  deter-nos, na quase desencandeada avalanche de erros, subversões à ordem natural, excessos, pecados, abusos, insensatez que o mundo hoje oferece,    e, fazermos  o retorno, à origem, a Vida Divina,  parece-me repito,  que  estamos como que falando separados por uma parede de vidro, em que falamos e não somos ouvidos e muitas vezes  parece que se esvai a nossa esperança.

Hoje,  ouvi como mensagem,  do texto de Atos, acima,  a restauração da minha esperança, revigorada pela fé do apóstolo Paulo, que viajava rumo à sua prisão e morte, mas o fazia por uma causa, maior que a sua própria vida,  a expansão do Reino, a pregação do Evangelho de Cristo, a salvação das pessoas

A perda da esperança,  o enfraquecimento dela, representa ensejo para que o inimigo de nossas almas nos assedie e diante de uma brecha, nos enfraqueça.  Mesmo que nos sintamos fracos, devemos buscar a nossa força em Cristo,  pois Ele é a nossa força e em tudo o que não somos fortes para vencer, Ele o é por nós.

A certeza de que Deus tem o controle de tudo,  e a de que tem o controle da minha vida, é o motivo da minha esperança. O Deus em que nós cremos é o Deus do impossível e tudo aquilo que vermos  em nossa frente como desafio invencível, é nada diante de Deus.  Ele nos faz saltar muralhas, atravessar desertos, andar sobre as águas,  peleja por nós e nos torna vencedores,  nós apenas precisamos confiar de todo nosso coração e amar acima de tudo ao Senhor, nosso Deus,  nEle estão todas as respostas.

Ele nos aconselha a  termos bom ânimo , pois devemos crer que Deus fará acontecer assim como Ele nos tem dito, através da Sua Palavra que nos foi legada e é o nosso roteiro exato, nosso caminho seguro.

Passando por cima de todas as nossas fraquezas e limitações, sigamos adiante, sabendo que com Jesus a nossa frente, somos mais do que vencedores, por meio daquele que nos amou.

“Senhor,  fortalece-me diante da minha fraqueza, não permite que me afaste de ti. Tua presença é tudo o que eu preciso. Torna audível e compreensível a minha voz para falar de ti a todos os homens que encontrar  para que eu possa  dar frutos para o Teu Reino.. Peço-te no Santo Nome de Teu Filho, Jesus. Amém.”

Read Full Post »

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.  Em cada alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.    Todos os que criam estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam suas propriedades e fazendas e repartiam com todos, segundo cada um tinha necessidade .  E  perseverando unânimes todos os dias no templo e partindo o pão em casa, comiam juntos o pão em casa comiam juntos com alegria e singeleza de coração.   Louvando a Deus e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar; Atos   2. 42-47

Há cerca de dez anos, quando faziamos parte, o Edson e eu, de um grupo de discipulado,  tinhamos como tema de estudo a Igreja do primeiro século, e a fraternidade relatada no livro de Atos nos empolgava, pensando em quão harmoniosa deveria ser essa primeira igreja, onde todos eram movidos pelo amor que emanava intensamente na atmosfera daqueles que viveram no tempo em que o Senhor Jesus viveu entre os homens. Sua presença era viva, os lugares por onde andou, suas palavras ecoavam ainda nos ouvidos daqueles que O viram com seus próprios olhos.  Que maravilhoso deve ter sido viver então.   Todavia sabemos que reviver inteiramente aqueles tempos, aquela igreja, já não é mais possível, integralmente, como nos descreve o texto bíblico. É, porém plenamente possível, sim,  manter presente a essência, que é o amor fraternal.  Para isto foi que o Senhor nos visitou, viveu entre nós, morreu por nós.

Frequentemente tenho ouvido de pessoas boas, generosas, inteligentes,  altruístas,  seres humanos notáveis, a afirmação de que, o essencial é que tenham fé, creiam em Deus e respeitem ao seu semelhante, não façam mal a ninguém, não entendendo ser necessário ir a uma igreja para orar, para estar ligado a Deus. E eu entendo as argumentações, pois não é raro que também tenham algum comentário de alguma pouco edificante história envolvendo episódios envolvendo alguma denominação religiosa. Tudo isso é muito triste, pois o que prevalece é o fato desairoso, que é lançado como pecha contra toda a igreja,  esquecendo-se que tais fatos ou condutas são comportamentos humanos errados, inconvenientes ou até mesmo execráveis e que se constituem em ofensas ao próprio Deus.

Na Bíblia, vários são os episódios em que o povo hebreu, os judeus como passaram a ser chamados,  praticaram atos abomináveis, e o Senhor  enviou-lhes advertência por intermédios dos Profetas, de que enviaria o Seu Juízo, e assim se deu e sucessivamente o povo escolhido por Deus foi levado ao cativeiro pelos assírios, babilônios e persas e dominado pelos romanos,  sendo conduzidos à diaspora.  No entanto, durante todo esse tempo de infortúnio, muitos do povo se mantiveram fiéis às leis de Deus e preservaram os ensinamentos  até que chegou o “renovo”,  o Filho  de Deus,  o prometido a todas as nações, a esperança, o Redentor.

E as boas novas, o Evangelho da Salvação foi entregue aos homens para que dessem prosseguimento à obra do Senhor – o Ide! ( Mateus 28.19-20) -“Portanto, ide, ensinai  todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensiando-os a guardar todas as cvoisas que eu vos tenho mandado; e eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos. Amém”.

Em Deuteronômio 6.3-9, está a ordenança para todo o indivíduo: “Ouve, pois,  ó Israel, e atenta queos guardes, para que bem te suceda, e muito te multipliques, como te disse o SENHOR, Deus de teus pais, na terra que mana leite e mel.  Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás, pois, o SENHOR teu Deus, de todo o teu coração, e de toa a tua alma e de todo o teu poder. E estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mal e serão por frontais entre os teus olhos E as escreverás nos umbrais de tgua casa e nas tuas portas”

O que Deus espera daqueles que o amam é não menos do que o “Shemah, Yisrael” acima está prescrevendo.  E estes preceitos não foram abolidos por Jesus, que os cumpriu todos, porém trouxe, o Messias, a amplitude da Salvação e do Amor infinito e Misericordioso de Deus a todos os povos.

Na antiguidade, para que se reunissem nas sinagogas, era preciso que estivessem dez presentes e Jesus apenas pediu que dois ou mais se reunissem em seu nome e Ele estaria presente.

O que nos compete viver no dia a dia é amar a Deus de toda a nossa alma e entendimento e ao nosso semelhante como a nós mesmos. E esse amor  é resultado do amor de Deus que permeia em nós, é a grande graça de Deus, que nos transforma, nos eleva, nos torna semelhantes a Ele, que nos criou a sua semelhança.

O que nos proporciona a comunhão em uma igreja é sermos alimentados pelo mesmo sentimento, anseio de viver o amor que Cristo nos ensinou e juntos render-Lhe adoração. Em verdade igreja (eclésia) implica em nos colocarmos em separado para dizermos que não somos do mundo que não conhece e não reconhece o senhorio de Deus. A mim a Igreja representa oportunidade  de ministar adoração. E quão grata sou por tudo o que recebi e recebo desta comunhão,  através da qual desejo estar também tornando-me uma “casa” agradável ao meu Senhor.

Senhor, eu te sou grata por guiares os meus  passos e me conduzires para o lugar onde desejas que eu esteja para estudar a tua palavra e burilando o meu temperamento, aprimorando o meu caráter,  para que possa me tornar útil para o teu serviço. Peço a tua graça para perseverar no propósito de te servir. No nome de Jesus. Amém.


Read Full Post »